Metodologia

A abordagem selecionada para a elaboração das projeções de emissões de gases de efeito estufa (GEE) do PEMC baseia-se na construção de três cenários hipotéticos até 2030:

1. Um cenário de referência ou Business-As-Usual (BAU), que projeta as tendências passadas para simular como as emissões poderiam evoluir se nada se alterasse no futuro (se nada for feito para enfrentamento das mudanças climáticas). Serve como base ou referência para os outros cenários.

2. Um cenário de contribuição federal (FED) baseado no compromisso voluntário do Brasil junto à Convenção Quadro da ONU sobre Mudança do Clima (UNFCCC) de redução de emissões de GEE até 2020, construído aplicando-se proporcionalmente para o estado de Minas Gerais os objetivos de redução de emissões líquidas de GEE previstos no Plano Nacional e Planos Setoriais sobre Mudança do Clima. Conforme estimativas realizadas, excluindo-se o setor de Mudança de Uso da Terra e Floresta, estes objetivos representam aproximadamente uma redução entre 7% e 9% das emissões de GEE em comparação com a tendência para 2020 no estado.

3. Um cenário mineiro de baixa intensidade de carbono (BIC), considerando as ações estaduais adicionais de eficiência energética e redução (ou remoção) de GEE definidas no processo participativo, visando promover de forma mais ambiciosa, rápida e robusta a transição para uma economia de baixo carbono. Este cenário foi construído com auxílio das partes interessadas presentes no processo participativo do PEMC, a partir da estratégia de promoção e consolidação de uma economia de baixo carbono em Minas Gerais, conforme Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (2011-2030). Este cenário representa uma redução de 9,4% das emissões de GEE em comparação com a tendência para 2030 no estado.

Os cenários diferenciam os 5 setores abaixo:

Energia - Emissões devido à queima de combustíveis e emissões dos seguintes subsetores: Residencial, Comercial e Público, Indústria, Transportes, Energético e Agropecuário.

Agropecuária - Emissões devido à fermentação entérica do gado, manejo de dejetos animais, solos agrícolas, calagem, cultivo de arroz e queima de resíduos. As emissões associadas ao consumo de energia da Agropecuária estão contabilizadas no setor Energia.

Resíduos e Efluentes - Emissões pela disposição e tratamento de resíduos, incluindo compostagem, incineração e tratamento de efluentes domésticos e industriais. 

Indústria - Emissões resultantes dos processos produtivos nas indústrias e que não são resultado da queima de combustíveis. As emissões associadas ao consumo de energia da indústria estão contabilizadas no setor Energia.

Mudança de Uso da Terra e Florestas - Emissões e remoções resultantes das variações da quantidade de carbono, seja da biomassa aérea, seja do solo, considerando-se as transições possíveis entre diversos usos. O crescimento da vegetação de porte florestal em áreas consideradas manejadas gera remoções e o desmatamento provoca emissões de CO2

       

                                                                           

 

©2013-16 Cidade Administrativa – GEMUC/FEAMRodovia 

João Paulo II, 4143, Bairro Serra Verde

Prédio Minas – 1 º andar

CEP: 31630-900 - Belo Horizonte/MG - Brasil - Todos os direitos de Concepção e Produção são reservados. agência Answeb