Saúde, mudanças climáticas e o Acordo de Paris

A mudança do clima tem ampliando consideravelmente o número de óbitos e enfermos mundialmente. Os indivíduos podem ser submetidos a alterações fisiológicas decorrentes de variações térmicas ou lesões traumáticas causadas por desastres naturais, assim como sua saúde pode ser afetada por transformações nas características ambientais provenientes da mudança do clima. Nesse sentido, o setor de Saúde precisa se preparar a fim de prevenir e evitar aumento de doenças, bem como atender à população impactada pela mudança do clima.

 

A saída do EUA do Acordo de Paris, segundo a professora Martha Barata, pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), provocou reação imediata de diversas nações que se recusam a mudar o acordo, também de setores empresariais, cientistas e chefes de Estados e cidades americanas, que reconhecem a relevância do tratado e manterão seus compromissos para que as metas ali propostas sejam alcançadas.

 

Saiba mais em: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/42010

       

                                                                           

 

©2013-16 Cidade Administrativa – GEMUC/FEAMRodovia 

João Paulo II, 4143, Bairro Serra Verde

Prédio Minas – 1 º andar

CEP: 31630-900 - Belo Horizonte/MG - Brasil - Todos os direitos de Concepção e Produção são reservados. agência Answeb